Conecte-se agora
acesse RADIOCANAL39

TURISMO

Fórum Nacional de Turismo e Esportes celebra decisão ratificada do STF sobre legitimidade da CNTur para representação do Turismo Nacional

Publicado

em

No centro, ministro Lummertz com Nelson Abreu à sua esquerda. (Foto: Marcos Ivan, Canal39)

Na última segunda-feira, 26, aconteceu – em São Paulo, importante Fórum Nacional de Turismo e Esportes, durante o qual foi abordado o tema: “ O Novo Panorama de Desenvolvimento Social e Econômico do Turismo e Esportes no Brasil”. O evento foi aberto pelo presidente da CNTur, Nelson de Abreu Pinto, que falou sobre a estrutura da instituição diante das últimas decisões do STF (Supremo Tribunal Federal), legitimando a exclusividade da CNTur como a entidade sindical de âmbito nacional para a representação do Turismo.

O Seminário contou com a presença do ministro do Turismo, Vinícius Lummertz, o qual falou da importância do momento para o turismo brasileiro, quando o MTur procura investir em qualificação profissional, infraestrutura e promoção do país. “É o legado que deixaremos para o país”, declarou.

Ministro do Turismo, Vinicius Lummertz (Foto: Marcos Ivan, Canal39)

O ministro também disse considerar que “nós somos o maior potencial planetário em Turismo”, destacando o Brasil como um dos dez em maior potencial Cultural. Para a autoridade, o país tem uma grande reserva de esperança.

Analisando, em termos de experiência e conhecimento, Lummertz disse que os jovens atuais se diferem, em muito, dos brasileiro de mais idade, por conta da tecnologia e mais fácil acesso ao conhecimento. Salientou ter, a agricultura, vivido um tempo de libertação das pessoas, as quais deixaram uma vida agregada, o mesmo acontecendo com a evolução das atividades humanas no período da industrialização, libertando os trabalhadores da dúvida para um tempo superior de qualidade de vida e, “sobretudo de liberdade”.

Definindo a atualidade brasileira como a era de servir e ser servido, o ministro do Turismo disse ser, isso, muito importante para uma civilização como a nossa que tem oportunidades muito grandes.

“Nós temos a necessidade de ter um país mais eficiente e mais produtivo. É daí que virá o resultado da nossa luta e do nosso esforço. Por mais que nós tenhamos a sensação e o sentimento de que as coisas, no Brasil, melhoraram nos últimos anos, as razões pelas quais essas coisas melhoraram ou estão, de alguma forma, absorvidas ou foram transitórias”, frisou Lummertz, autenticando sua fala com a notória comprovação de que as pessoas estão endividadas.

Para o ministro, os gestores brasileiros, de um modo geral, se confundiram, haja vista o não aumento da produtividade. “O que nós produzimos é pouco, não por culpa do trabalhador ou do empresário. É o sistema que tem muitos custos de transação, muitos custos intermediários, gerando necessidade de mais esforço para pouco resultado”.

Apoiado nessa constatação, Lummertz comentou que, no Brasil, a posse de qualquer produto se torna muito mais cara, por conta do funcionamento da economia, a qual não permite ao cidadão ter valor para o seu produto e, sequer, poupar para investir. “Nós estamos presos em armadilhas do chamado crescimento médio (que é a característica de muitos brasileiros); armadilhas que vão impedir o nosso sonho de se realizar sem que as reformas sejam feitas. Reformas grandes, médias e micros, como se estivéssemos cuidando para todo o sistema circulatório (artérias e veias) funcionar normalmente”, continuou.

Alertando não ser natural o Brasil querer ter o mesmo padrão de vida dos países desenvolvidos com uma produtividade equivalente a um quarto deles, exaltou a necessidade de se por o assunto à mesa e promover intensa reflexão a respeito, em busca de aumentos salariais reais, contrapondo os custos inflacionários e diferenças já acontecidas. O ministro também manifestou seu desejo de que o Brasil não seja um país com tantos impostos e tantos juros.

A disparidade de investimentos em Turismo, comparando-se Brasil (U$ 30 milhões) com Estados Unidos ou China (U$ 300 milhões) ao ano não autoriza um desenvolvimento sustentável. Ou seja, o Brasil atingiria o investimento dessas duas referências somente em 10 anos. “Isso só iria se agravar”, garantiu o ministro.

Necessidade de investimento estrangeiro

Vinicius Lummertz afirmou ser indispensável o investimento de capital estrangeiro no Turismo brasileiro, haja vista a falta de condições para melhor empreender, por exemplo, em uma marina ou um parque temático. Segundo ele, o  último parque temático acontecido data de 20 anos atrás. Com respeito à isenção tarifária para a chegada de empreendimentos e equipamentos estrangeiros, disse que “o mundo não tolera mais essa falta de firmeza, de posição, de maturidade. Nós não somos mais um país adolescente. Já somos um país adulto e como tal, nós temos que nos responsabilizar, porque nós estamos com mais medo de fantasmas inventados do que a realidade efetiva. Mais medo de abrir um cassino resort integrado, de U$ 6 milhões de investimento, do que do crime organizado que se institui no Brasil com milhares de homens armados, a partir dos presídios”.

Fechando sua fala, o ministro mostrou sua certeza de que é preciso que todos se responsabilizem pelo verdadeiro amadurecimento do Brasil, para nossos jovens terem uma verdadeira herança boa, compartilhável com todas as descendências que nele vivem.

Deputado Federal Celso Russomano (Foto: Marcos Ivan, Canal39)

O Fórum contou com a participação do Deputado Federal reeleito Celso Russomano que ratificou a força de representação da CNTur e das entidades Sindicais no Brasil e a importância da causa Turismo como fator gerador de emprego e renda.

Russomano, que disse estar bastante envolvido com as ações do trade turístico, enquanto legislador na Câmara Federal, exerce a presidência da Delegação do Mercosul e, nessa condição, conseguiu aprovar o Projeto “Céus Abertos” o qual, certamente, deverá gerar mais movimentação para o Turismo no Brasil, motivando a concorrência entre as companhias aéreas, consequentemente provocando a redução dos preços das passagens aéreas, com a entrada em operações das companhias aéreas do Mercosul. “Muitas vezes temos dificuldades em fazer com que o o turismo interno aconteça por conta dos custos internos. Isso tem que acabar. Se a gente viaja na Europa, de um país para outro, pagando entre U$ 50 a U$100, por que no Brasil temos que pagar tão caro uma passagem aérea, que inviabiliza, de fato, o turismo?”, comentou o parlamentar, justificando que começou a se envolver com o projeto “Céus Abertos” exatamente por causa disso.

Russomano também disse não entender porque o Brasil não consegue, com a instalação de parques (a exemplo do Beto Carrero) ser um grande gerador de empregos e renda, movimentando todos os setores de serviços, principalmente.

Referindo-se à decisão do STF, a qual consolida a CNTur como representante do Turismo Nacional, disse ser, a mesma, “acertada, só colabora para que nós possamos focar exatamente no Turismo. Nós temos o sistema “S” e é um sistema que corre risco, hoje, no Congresso Nacional. Corre risco porque precisa mostrar para o que veio. O que está acontecendo no sistema “S” para o Turismo e o Esporte? Está faltando alguma coisa e é o momento errado para dizerem que não vão separar, não vão dispor de R$ 1,5 bilhão para o Turismo porque têm o interesse de centralizar”, disse, entendendo que ninguém venha a querer dispor de um orçamento nesse montante, mas, em continuação, considerou que “essa briga não leva a nada, só prejudica e vai fazer com que aqueles que têm interesse em acabar com o sistema “S” achem um motivo para que isso aconteça”.

Celso Russomano ainda comentou que o momento é para diálogo e união para, por conta da necessidade da geração de mais empregos, sermos capazes de suprir todas as regiões brasileiras. “Com tudo isso que o Brasil pode oferecer para o mundo, só falta uma coisa: vontade política de fazer. Se houver vontade política de fazer, vai acontecer”, finalizou o deputado federal.

Comemoração

O Seminário comemorou a decisão de ratificação do STF sobre a legitimidade da CNTur-Confederação Nacional de Turismo, como entidade de 3º grau sindical de âmbito nacional para a representação do Turismo Nacional. Os clubes esportivos se fizeram representar por Roberto Capellano, presidente do SindClubes São Paulo.

A FenaClubes é filiada à CNTur.

(Texto: Marcos Ivan, com colaboração de Alfredo Gimenes)

 

 

Continue Lendo
1 Comentário

1 Comentário

  1. jean

    28 de novembro de 2018 em 19:39

    kkk Sindicatos no Brasil não dão nada de graça ,se preparem que vem cobrança em cima do setor ,partindo desse cidadão que perpetua no poder a anos em Sp não teremos muita esperança ,turismo é para quem entende e nao para amadores que nao pensam no futuro

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

TURISMO

TURISMO: Areias tem Feirinha da Roça que merece ser visitada

Publicado

em

(Foto: Edna Maischberger, Canal39)

Abrimos a janela do quarto, demos “de cara” com a bonita praça que abriga a Secretaria de Turismo e Cultura e com a bem cuidada fonte funcionando…

O friozinho de outono, já com os pés no inverno, nos beijou as faces e pudemos perceber as maritacas alçando seus voos repletos de rasantes e quase piruetas, pousando aqui ou ali, sobre a galhada das árvores da praça.

Fonte na Praça onde está instalada a Secretaria de Turismo de Areias (Foto: Edna Maischberger, Canal39

Quase sete horas da manhã e nos preparamos para acompanhar um pouco da montagem da tradicional “Feirinha da Roça”, idealizada e organizada pela Associação Amigos do Vale Histórico.

Aos poucos, ainda com o sol agasalhando-se sob a neblina, acomodado sobre as curvas das montanhas, o pessoal fixava um cavalete aqui, esticava uma lona ali, estendia um varão para ligar dois cavaletes e apoiar uma bancada…

A Feirinha ganhava corpo e cara, em meio a uma incrível coreografia de gente e carros, pois até então o trânsito estava garantido, no leito carroçável, para o ir e vir de todos.

As portas dos estabelecimentos comerciais se assanhavam para receber pessoas, algum som de sertanejo universitário passeava pelo ar e as maritacas contrapunham-se a todos os sons, anunciando e garantindo seu território.

Clicamos alguns momentos, gravamos alguns outros em vídeo e retornamos para a Pousada e Restaurante Dona Maria, para o café da manhã.

Aliás, cabe destacarmos o conforto da Pousada Dona Maria, muito bom entre os equipamentos de sua categoria. Somando-se isso ao silêncio da noite toda, a estadia ficou dentro das nossas expectativas.

Retomamos o trabalho de documentar a Feirinha da Roça (ela completa 1 ano logo ali, em agosto). Às 10h, houve a celebração da Missa Sertaneja, celebrada pelo pároco local, padre Antonio Felipe.

Yacon, uma raiz cultivada na região. “Conhecida como batata do diabético, a batata yacon é empregada no tratamento de colesterol alto e de diabetes” (Wikipédia) – (Foto: Marcos Ivan, Canal39)

Hortaliças e verduras, diretamente da roça, compunham parte do cenário, cujo contexto trazia o irresistível café artesanal (eita cheirinho bom!); produtos em biscuí com suporte em cabaças; cachaça “de verdade”; flores; manteiga da roça; banha de porco; bonecas de pano; temperos caseiros; filé de truta; linguiça artesanal, defumada; pães, geleias, doces, compotas; bolos; pastel; paçoca; biscoitos; pimentas in natura e em conserva; artesanato em tecidos (panos de prato); tapeçaria; móveis rústicos (inclusive uma incrível mesa para churrasco esculpida em madeira da mangueira); crochês, tricôs; essências perfumadas; artesanato em MDF, dentre muitos outros itens.

A cumplicidade de uma tenda vendendo o irrecusável Almoço Tropeiro (com direito a torresmo, minha gente!) foi essencial para o público apreciar a Feirinha até após o seu encerramento oficial, que aconteceu às 14h.

Durante todo o evento houve, no palco montado, um desfile de cantadores de moda de viola, engrandecendo a Feirinha da Roça com um verdadeiro Festival de Viola sem competição.

Violeiros alegraram a Feirinha da Roça (Foto: Edna Maischberger, Canal39)

Violeiros locais e de diversas cidades vizinhas se fizeram presentes, brindando ao público com belas peças do repertório sertanejo, com “Relógio quebrado”; “Mariana”; “O que tem a rosa”…

Em conversa com o secretário de Turismo, Ronaldo Martins de Araújo, foi-nos possível saber do interesse da administração local quanto ao sucesso da Feirinha da Roça. “A Prefeitura, por meio do Turismo e da Secretaria de Eventos, oferece a parceria necessária para acontecer a Feirinha. Fornecemos a sonorização, instalação de tendas, orientação do trânsito, por exemplo. Entretanto, buscamos, também, promover a motivação e o interesse de todos os expositores atuais e de outros, os quais se enquadrem no perfil de participantes”, disse Martins.

Segundo a autoridade, com a participação de todos, o evento evolui, se consolida, ganhando mais espaço físico para sua realização; promovendo a motivação dos envolvidos e contribuindo para a manutenção da renda extra para todas as famílias da região. Com isso, naturalmente, se dá a maior divulgação dos municípios do Vale Histórico, com o resgate de tradições, inclusive.

A Feirinha da Roça, em Areias, é realizada no segundo domingo de cada mês.

A Reportagem do Canal39 viajou a convite da Associação Amigos do Vale Histórico.

GALERIA DE FOTOS: CLIQUE PARA ACESSAR

 

Continue Lendo

TURISMO

GESTÃO: A hospitalidade sob a ótica do turismo

Publicado

em

(Divulgação / SETUR-SP)

“Atender bem. Atender muito bem. Servir, acolher e encantar é o que acredito ser a essência da hospitalidade”. Com esse conceito, o Secretário Executivo de Turismo do Estado de São Paulo, Marcelo Costa, iniciou na tarde desta terça-feira (11) sua participação no Painel “Sustentabilidade na Hotelaria”, no último dia na EXPOTEL 2019 – Feira Internacional para Hotelaria, na Capital paulista. Este evento é de responsabilidade da ABIH (Associação Brasileira da Indústria de Hotéis do Estado de São Paulo) que completa 70 anos de existência.
Perante uma plateia formada principalmente de hoteleiros, gerentes e representantes do meio de hospedagem, bem como mídias e profissionais de turismo, o Secretário Executivo ressaltou: “estou convencido que uma experiência memorável seja o diferencial competitivo que pode distinguir nossa oferta hoteleira, por exemplo, das demais formas de acomodação que no Estado de São Paulo representam: 182 mil unidades habitacionais, 105 mil trabalhadores e 140 mil hóspedes por dia”.
Costa ainda mostrou o que a Pasta estadual do Turismo está fazendo para fortalecer São Paulo como destino turístico. “Este setor precisa de promoção, de muita promoção. Agregar valor à manutenção, incremento e requalificação do fluxo turístico gera mais receita e mais turista. Devemos pensar que é a qualidade que sempre faz o cliente lembrar-se de nós, principalmente no mundo digital”.
Por último, o Secretário Executivo deu como princípios que valem ser lembrados, a exemplo da experiência da Disney:
 Concorrente é qualquer pessoa com o qual o cliente o compara
 Fantástica atenção aos detalhes
 Todos mostram entusiasmo
 Tudo mostra entusiasmo
 Múltiplos postos de escuta
 Recompensa, reconhecimento e comemoração
 Todas as pessoas são importantes!
Esta 4ª edição da EXPOTEL veio acompanhada da SEHGA – Sinergia Estratégica entre Hotelaria, Governo, Academia e Trade Turístico, evento criado para desenvolver o Turismo paulista, no seu oitavo ano consecutivo.

(Assessoria de Imprensa da Secretaria de Turismo do Estado de São Paulo).

Continue Lendo

TURISMO

GESTÃO: Na APRECESP Governo do Estado descontingencia R$ 100 milhões para o Turismo

Publicado

em

(Divulgação: SETUR-SP)

O otimismo tomou conta da reunião da APRECESP (Associação das Prefeituras das Cidades Estância do Estado de São Paulo) na noite desta sexta-feira (7), na Estância Turística de Bragança Paulista. O Governo do Estado esteve presente com o Vice-Governador e Secretário de Governo, Rodrigo Garcia, o Secretário de Turismo, Vinicius Lummertz e o Secretário de Desenvolvimento Regional, Marcos Vinholi. E uma importante notícia entusiasmou os prefeitos da entidade: Garcia anunciou que o governo descontingenciou R$ 100 milhões dos R$ 206 milhões do orçamento da Secretaria de Turismo, até então contingenciados, para aplicação em infraestrutura turística.

Vinícius Lummertz e Rodrigo Garcia (Divulgação)

Na oportunidade Lummertz fez uma apresentação da atual condição dos convênios entre as estâncias e o DADETUR (Departamento de Apoio ao Desenvolvimento dos Municípios Turísticos) e disse: “todos os convênios serão honrados regularmente. E precisamos sempre trabalhar pela dimensão econômica do Turismo. Por isso nosso papel enquanto Governo é irmos além, para impulsionar e aumentar a atividade turística paulista”.
O secretário explicou aos integrantes da APRECESP que todos os convênios que tiveram os restos a pagar no período de 20011/2017, cancelados pelo governo anterior, serão honrados regularmente. “Estimamos aplicar R$ 150 milhões nestes convênios, tão logo as etapas das obras sejam concluídas. E tem mais, todos os convênios cancelados em 2018, por falta de empenhos e já apreciados no COC (Conselho de Orientação e Controle), serão reempenhados e conveniados até o mês de julho. Estimamos aplicar R$ 50 milhões nestes convênios”, disse Lummertz.

Em meio à sua apresentação, o titular da Pasta do Turismo afirmou que, ainda em relação aos convênios, serão aplicados R$ 42 milhões em projetos novos, dentro dos recursos já disponíveis no orçamento de 2019.

Frente a este cenário promissor para a APRECESP, prefeitos das estâncias utilizaram-se de argumentos que passaram pelo diálogo, gestão, criatividade e competência para exaltar o Governo de João Doria. O secretário Lummertz ainda discorreu sobre a importância que todos envolvidos no setor têm, “pois é preciso expandir o fluxo
turístico de cada cidade para tornar o Estado de São Paulo um grande destino para o Brasil e para o mundo”.

(Assessoria de Imprensa SETUR-SP)

Continue Lendo

Em Alta

Hospedado por ServerPro